quarta-feira, novembro 15, 2006

O aborto visto por eles

A revista ÚNICA do dia 4-11 trazia uma série se testemunhos de homens que viveram por dentro a prática da interrupção voluntária da gravidez. Alguns dos testemunhos lembraram-me uma das razões pela qual assumo a posição que assumo, a da interrupção clandestina. A maior parte dos casos relatados continha instalações sujas e sem condições, o vulgo "vão-de-escada", pessoas sem a miníma formação e sempre o mesmo fim: a ida a um hospital, porque a coisa correu mal , chegando ao ponto de num dos casos uma jovem grávida de 17 anos ter continuado grávida e ter tido um aborto espontâneo aos 7 meses.
É com casos destes que se deve acabar, com o sofrimento pelo qual estas pessoas passam por não terem o dinheiro para ir a Espanha. Porque não se iludam, o aborto vai continuar, mas pode continuar de 2 maneiras: ou se mantém o mesmo, porque casos destes vão continuar a acontecer; ou se permite que seja o SNS , preferencialmente, ou centros que reúnam todas as condições legais a fazerem-no. Porque mais que uma questão de cadeia/não cadeia, está a vida da mulher, e infelizmente são mais estes casos dos que os que têm posses para ir a Espanha fazerem-no em segurança.

1 Comments:

Blogger normajean said...

Concordo inteiramente...mas parece-me que é urgente formar as pessoas...infelizmente não só na área da sexualidade e do planeamento.

10:11 da tarde, novembro 15, 2006  

Enviar um comentário

<< Home