domingo, fevereiro 11, 2007

Campanhas

Parece consensual que a campanha decorreu de forma pacífica.
Pois eu não penso assim.
Ao fim destes meses, cansado de me chamarem assassino e abortista, neste lado da luta, que são os blogues, esta vitória sabe-me duplamente bem: porque ganharam as mulheres e porque se provou quem tinha razão.
Parabéns aos militantes do Não que não se deixaram ir no caminho da falácia. Mas só a esses.

12 Comments:

Anonymous Diogo Matos said...

Como é possivel que se utilize a vida humana para fazer campanha política e para promover a personalidade de alguns líderes politicos ávidos de publicidade e ávidos por cair nas boas graças da população, como todos esses Sócrates da vida.
Como é possivel que se utilize a vida humana para promover movimentos ultra-radicais da mulher que nunca quiseram igualdade de direitos, mas sim a supremacia sobre o homem. Mulheres estas que até já têm poder para exterminar uma vida humana e não lhes pesar na consciência.

condenámos a morte de milhares de inocentes no século XX, durante a segunda guerra mundial, e apelidámos esse extermínio de Holocausto.
Agora, no século XXI cometemos o mesmo holocausto com milhões de crianças inocente que nem tiveram chances de implorar pela vida.

E os homens que se deixam levar pela estúpida lenga-lenga são tão otários que não se apercebem que não podem dizer que querem ficar com o filho. Porque agora, esta mulher desumana, pode decidir abortar somente porque acordou com os pés fora da cama. Esta mulher desumana que o fez mas não o quer assumir. Mas o homem, que é o pai, não tem voto na matéria.

2:14 da tarde, fevereiro 12, 2007  
Anonymous Anónimo said...

De um resultado eleitoral não se pode nunca tirar conclusões sobre a justiça e a verdade de uma posição. Não vou ter de dar o exemplo de escola do nazismo, pois não?
Como dizia Sophia: "O que pode crescer dentro do tempo senão a justiça?". E o tempo vai dar razão aos que se opuseram a esta lei que legitima um acto que é um atentado à vida humana. Nessa altura sei que vais fugir às tuas responsabilidades.

2:15 da tarde, fevereiro 12, 2007  
Anonymous Diogo Matos said...

E o homem que a defende é tão culpado como ela.

2:17 da tarde, fevereiro 12, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Meu caro Лев Давидович

Como é possível dizer que ganharam as mulheres quando se perdem filhos inocentes?

Se não sabe eu digo-lhe o seguinte: Já deve ter ouvido dizer que quem ganha com este resultado são as clínicas abortivas e as mulheres que delas tiram proveito! E não as dignas mulheres portuguesas de que fala.

As portuguesas perdem porque passaram a existir portugueses de 1ª e de 2ª; o ser humano que tiver menos de 10 semanas de vida dentro da barriga da sua MÃE, vai para o lixo. Desculpe se estas palavras ferem a sua sensibilidade. É um facto que não podemos esconder.

Perdem as mulheres porque perdem a sua condição principal, a de serem mães, perdem as mulheres porque deixam de ser dignas de ouvirem a palavra “MÃE”.

Perde o PAI porque não vai poder dizer esta simples frase: Eu fico com o meu filho, por favor!

Sugiro-lhe a acompanhar “in loco” e ao vivo todos os passos de uma “INTERRUPÇÃO FORÇADA DA GRAVIDÊZ (para o bebé, claro!). Garanto-lhe que se arrepende! Não por ter assistido a um aborto, mas por ter votado SIM e por ter caído em si e se ter deparado com a realidade que é o sofrimento e a “morte” de um bebé.

Lopo Vaz de São Payo
Maia

12:39 da manhã, fevereiro 13, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Apenas uma nota que não me parece que alguém se tenha lembrado na campanha: quem ganhou com isto também foram os violadores! Sim, eles mesmos!
A mulher, actualmente, para abortar podia invocar, entre outras situações, a violação. Com a vitória do sim, a mulher, por vergonha, não dirá que foi violada. Dirá simplesmente que não quer ter a criança. Logo... e dado que é um crime que depende de queixa, muitos violadores deixarão de responder por esse acto em tribunal. Atingiu-se também desta forma uma maneira de descongestionar os tribunais.

Miguel Sampaio, Porto

12:39 da tarde, fevereiro 13, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Caro Miguel, que estupidez!...

2:51 da manhã, fevereiro 14, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Será? Olhe que não! Olhe que não!
Gostaria que fizesse um comentário mais construtivo. Foi algo que me ocorreu e não encontrei ainda argumento que refutasse este pensamento.

Miguel Sampaio, Porto

4:15 da tarde, fevereiro 14, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Quem ganhou?

No imediato foram as clinicas espanholas já prontas para abrir em Portugal.

Quem perdeu?

Todos nós Portugueses, fomos todos na onda da modernidade europeia, quando esta agora se inverte a situação oferecendo condições especiais de apoio à maternidade até com icentivos económicos.

Quem não ganha nem perede?

Provavélmente o nosso 1º Ministro, agora adivinhem porquê?

Pedro oliveira
Aveiro

4:37 da tarde, fevereiro 14, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Meu caro desconhecido Лев Давидович:

Porque é que só os "seres humanos" que votaram contra o aborto legal se fartam de fazer comentários apropriados e plausíveis neste blogg? E os seres humanos que também tiveram menos de 10 semanas de desenvolvimento na barriga da mãe e assinam esta página? Onde andam eles? Não consegue rebater as verdades de dizemos? Pelos vistos Não! Continuo a dizer, meu caro Лев Давидович; tal como depois do 1º referendo sobre a vida (direito que não deve ser referendável), o “sim” abandonou as graciosas mulheres, ao contrário do Não, que as acompanhou e conseguiu salvar milhares de bebés, tornando-as felizes.
E quem tanto comentou neste sitio a vitória do “sim”? Já estou a ver o que se vai passar a seguir. O ABANDONO!!!!!
Graças a Deus que os adeptos no NÃO estão cá para as consolar!

Lopo Vaz de São Payo
Maia

11:51 da tarde, fevereiro 14, 2007  
Anonymous Anónimo said...

RAUF!! RAUF!!
RAUF!! RAUF!!

ROTTWEILER

11:47 da manhã, fevereiro 15, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Perfeitamente identificado.

Não morde, só RAUF!!


Sociedade Protectora dos Animais

12:21 da tarde, fevereiro 15, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Estamos a entar por caminhos pouco claros!

Pelo menos as cadelas não matam os filhotes só porque lhes dá na real-gana querem.

12:47 da tarde, fevereiro 15, 2007  

Enviar um comentário

<< Home